Mulheres Poderosas, o que elas tem em comum umas com as outras? O que as torna tão diferentes a ponto de serem escolhidas dentre muitas, para rankear a lista das mulheres mais poderosas do Brasil?

As Mulheres Poderosas segundo a Forbes

Recentemente em outra publicação aqui em nosso blog, mostramos algumas das principais características relacionadas à comunicação das mulheres mais poderosas do mundo.

Leia o artigo que falamos sobre a comunicação das mulheres mais poderosas do planeta

Por incrível que pareça, a lista das 27 mulheres poderosas do mundo segundo a revista Forbes, nenhuma brasileira fazia parte do ranking.

Nessa semana, a Forbes lançou a versão onde ranqueia as 40 mulheres poderosas do Brasil. Escolhemos seis delas e escrevemos esse artigo, sobre suas principais características de comunicação e influência.

Quem são as poderosas desse artigo

Nossa escolha não foi pela quantidade de fortuna acumulada ou cargo que ocupam, mas sobre a maneira como comunicam e influenciam pessoas.

Escolhemos apenas seis para poder compartilhar as observações que fizemos acerca da comunicação, e não quer dizer que são as melhores ou piores, mas que elas possuem atributos que são muito importantes para pessoas que desejam ser notadas como referência em suas áreas.

Por mais que todas sejam pessoas públicas, elas são empreendedoras e não necessariamente palestrantes. Portanto, não faremos críticas, apenas observaremos a maneira como cada uma delas comunica e pontuaremos com nossas observações.

As nossas seis escolhidas para compor esse artigo são:

  • Chieko Aoki – Fundadora e CEO da Blue Tree Hotels
  • Cristina Junqueira – Cofundadora do Nubank
  • Luiza Helena Trajano – Presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza
  • Rachel Maia – CEO da Pandora no Brasil
  • Flávia Bittencourt – Diretora-geral da Sephora Brasil
  • Donata Meirelles – Diretora de estilo da Vogue Brasil

Chieko Aoki

A empresária nipo-brasileira passou por altos cargos em algumas das maiores redes hoteleiras do mundo antes de fundar, em 1997, a Blue Tree Hotels.

Os orientais possuem uma forma de comunicar bem diferente dos ocidentais. Eles são discretos, não deixam suas emoções transparecer ao público, o que não quer dizer que não estejam gostando, apenas a maneira a qual eles se relacionam, é mais contida do que outros.

Chieko Aoki consegue gravitar com maestria entre a sutileza oriental e paixão ocidental.

Aoki não é palestrante, é uma empresária. Mesmo não tendo uma desenvoltura e aberturas em suas palestras, ela consegue empregar de maneira assertiva e pontual cada palavra da mensagem que está sendo dita.

Possui poucos vícios de elisão vocal e consegue expressar em palavras, seu raciocínio e seus gestos.

Nesse vídeo, podemos observar que faz boa utilização do palco, olhando para a plateia que está sentada em diversos locais do auditório.

Outro ponto interessante está nos gestos, mesmo “engessada” por ter de manusear o microfone e o passador de slides, ela atribui gestos que valorizam sua mensagem.

Cristina Junqueira

Cristina Junqueira, faz jus a comunicação da empresa na qual é cofundadora, a Nubank. Se você ainda não conhece o estilo da empresa, entenderá melhor após assistir sua palestra.

Cristina tem tonalidade vocal mais acentuada, o que transmite a quem ouve suas palavras, segurança e poder.

Apesar de não ter presença de palco, não ter muita habilidade na comunicação não verbal e não aproveitar os espaços para conectar com o público em suas apresentações, ela canaliza energia na parte verbal.

É desinibida ao falar e sabe utilizar e fazer as colocações de cada palavra, sem cometer graves erros de oratória como elisão vocal. Entretanto, o uso do “” torna-se excessivo e desnecessário.

Uma das coisas bacanas de ver Cristina Junqueira comunicando, é que ela consegue falar em uma linguagem que se assemelha à comunicação espontânea da empresa na qual é proprietária.

Luiza Helena Trajano

Talvez a mais conhecida dentre todas as mulheres poderosas do Brasil, a dona da rede de lojas que leva seu nome, Magazine Luiza, possui uma comunicação simples e didática.

Percebe-se que ela tem um perfil pragmático, caracterizado pelo estilo de roupa que veste, a maneira como gesticula e o jeito como faz suas colocações. Isso mostra que Luiza é uma mulher prática e objetiva. Não é a toa que chegou onde todos sabem.

Ela faz o uso de gestos ilustradores para enfatizar sua fala, nos pontos onde ela acredita que merecem destaque.

Perceba que ao falar: “uma empresa do interior que abre as cinco horas pra começar a trabalhar.” Ela faz junções de ilustrações com os dedos das mãos passando do um para o cinco.

Outro ponto interessante é o fato dela empregar energia nas palavras e valorizar em sua Linguagem Corporal.

Ao falar; “não vai dar certo”, ela faz uso da mão para a plateia ilustrando uma barreira, e em seguida demonstra o “deixo pra lá” com um gesto na altura da cabeça.

Apesar de Luiza não utilizar o palco a seu favor, sua comunicação transmite energia e confiança.

Rachel Maia

A CEO da Pandora Joias, Rachel Maia, é o perfil mais próximo da típica mulher brasileira. Negra, forte presença, determinada e batalhadora.

Ao olhar para Rachel Maia, vejo uma mulher com um potencial de comunicação na mesma proporção de uma empresária de sucesso que é.

Rachel tem presença, tem postura, representa o sonho da maioria das brasileiras. Trabalha diretamente com a auto estima feminina. Estudou em escola pública, fez técnico em contabilidade.

Ela tem conteúdo de sobra pra ser transmitido, sabe fazer o uso adequado das palavras e sua modulação vocal contribui para que a energia seja projetada de forma coerente com o emprego correto das palavras, sem deixar os vícios de linguagem interferirem na comunicação.

Sua comunicação na Linguagem Corporal fica a desejar, ela possui alguns equívocos, o que não é grave, mas se fizesse seu uso de maneira adequada, certamente ela seria “A Mulher Que Toda Brasileira Sonha Ser.”

Flávia Bittencourt

Flávia Bittencourt possui uma comunicação perfeita para seu perfil, prática, influente e poderosa.

Ao falar de modulação vocal, elisão vocal e demais atributos da comunicação oral, Flávia se expressa muitíssimo bem.

Sabe utilizar as palavras em todas suas totalidades, passando por cada letra sem engolir ou fazer junções.

Percebe-se que os excessos acontecem apenas nas palavras onde tem S que soa como X, ou ao terminar as palavras abertas que finalizam com É. Mas essa é uma característica nata do carioca.

Utiliza bem as mãos para ilustrar e demonstra autoridade, fazendo a junção ideal entre palavra e gestos.

Mesmo estando sentada, percebe-se que é uma mulher que faz jus a marca na qual representa, por portar-se com elegância em sua comunicação.

O uso do perfil pragmático e influente sobre uma marca francesa foi bem empregado com as características Flávia Bittencourt .

Donata Meirelles

Diretora de estilo Vogue Brasil, Donata Meirelles, dona de um perfil analítico, detalhista, gosta de tudo nos mínimos detalhes, possui uma variação do comportamento predominante para o influente.

Uma mulher de estatura maior que as outras citadas aqui nesse post. Possui abertura maior na hora de gesticular. Um dos principais erros que vejo em modelos ou ex modelos ao comunicarem, é o uso carregado dos ombros ao gesticular os braços.

Talvez pelo biotipo, o ombro acaba evidenciando mais os movimentos e chamando mais atenção do que as mãos e os braços.

Modelos tem uma vantagem muito grande se tratando do uso da Linguagem Corporal, pois conseguem com poucos gestos, alinhar o conteúdo falado com o que não é dito.

Se tratando da oratória, ela deixa a desejar, principalmente pelo fato de parecer estar fazendo esforço para pronunciar as palavras. Também, ela intensifica palavras onde há vogais, por exemplo: supersticiOOOsa, religiOOOsa, olho grEEEgo.

Observações

Em nenhum momento tivemos a intenção de desqualificar nenhuma das mulheres que aqui mencionamos. Fizemos análises subjetivas em cima da comunicação de algumas das personalidades que hoje encabeçam a lista das mulheres mais poderosas do Brasil, segundo a revista Forbes.