Inteligência Emocional E Linguagem Corporal, Uma Combinação Perfeita Para O Seu Sucesso

Tempo de leitura: 7 minutos

Para se tornar bem sucedido é preciso ser autoconfiante, e para ser autoconfiante é preciso ter inteligência emocional. Até aqui talvez eu não tenha dito nada do que você não soubesse.

Você pode até ser contratado por ter um QI acima da média, mas ele não é garantia de que você possa se tornar um profissional bem sucedido.

Há cerca de 20 anos eu conheci uma pessoa que tinha um dos QIs mais extraordinários que pude presenciar e fiquei abismado por vê-la sendo despedida do “emprego dos sonhos” por não saber lidar com as outras pessoas à sua volta. Foi aí que entendi que inteligência cognitiva não é a mesma coisa que emocional.

Dificuldades

Sempre tive dificuldades na aprendizagem escolar. Naquele tempo pessoas como eu eram chamadas de burras, hoje são diagnosticadas com TDAH, discalculia, dislexia, entre outros transtornos de aprendizagem.

Apesar de ter repetido um ano letivo por três vezes eu sempre gostei de aprender, mas encontrava dificuldades em compreender da maneira como os professores ensinavam. Eu achava tudo muito complicado e se não me interessasse, realmente eu não aprendia.

Mesmo sendo considerado um aluno atrasado, eu tinha certas habilidades que me faziam ganhar facilmente a confiança dos colegas e com isso influenciá-los a fazer o que normalmente não fariam.Na aula de educação artística atuando como organizador das apresentações ou nas aulas de educação física mesmo sem jogar nadinha de futebol, eu conseguia convencer os professores, sim, inclusive aos professores, a implantarem outros esportes para que eu pudesse participar.

Mas o que eu tinha de diferente? Como eu conseguia fazer o que os outros não conseguiam?

A resposta está em algo que atualmente é muito difundido, mas que também era desconhecido naquela época: INTELIGÊNCIA EMOCIONAL E LINGUAGEM CORPORAL.

O Importante Papel Da Inteligência Emocional No Desenvolvimento Humano

Inteligência emocional é muito mais que um conceito psicológico, é a capacidade de nos avaliarmos por uma perspectiva mais ampla e às outras pessoas que estão a nossa volta, e saber exatamente como lidar com cada pessoa.

 

“…capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos.” (Goleman, 1998)

 

  1. Autoconhecimento Emocional – reconhecer as próprias emoções e sentimentos quando ocorrem;
  2. Controle Emocional – lidar com os próprios sentimentos, adequando-os a cada situação vivida;
  3. Automotivação – dirigir as emoções a serviço de um objetivo ou realização pessoal;
  4. Reconhecimento de emoções em outras pessoas – reconhecer emoções no outro e empatia de sentimentos;
  5. Habilidade em relacionamentos interpessoais – interação com outros indivíduos utilizando competências sociais.

 

As três primeiras são habilidades intrapessoais e as duas últimas, interpessoais. Tanto as primeiras são essenciais ao autoconhecimento, quanto estas últimas são importantes em:

  1. Organização de Grupos – habilidade essencial da liderança, que envolve iniciativa e coordenação de esforços de um grupo, bem como a habilidade de obter do grupo o reconhecimento da liderança e uma cooperação espontânea.
  2. Negociação de Soluções – característica do mediador, prevenindo e resolvendo conflitos.
  3. Empatia – é a capacidade de reagir adequadamente de forma a canalizá-los ao interesse comum, ao identificar e compreender os desejos e sentimentos dos indivíduos.
  4. Sensibilidade Social – é a capacidade de detectar e identificar sentimentos e motivos das pessoas.

Onde Entra A Linguagem Corporal?

A Linguagem Corporal exerce extrema importância em nossa comunicação. Repare em todas as pessoas bem sucedidas, elas se expressam, falam e gesticulam bem. Dificilmente você verá alguma pessoa que admira e não tenha uma desenvoltura digna de sua atenção.

Mas além de compor sua comunicação e ser responsável por pelo menos 80% dela, sua comunicação não verbal influencia diretamente nos pensamentos que são refletidos em nossos sentimentos e são expostos em nossos resultados.

Diversos grandes profissionais já falaram sobre como a Linguagem Corporal molda o comportamento. Tony Robbins, T. Harv Eker, Amy Cuddy e inclusive eu, em início de carreira tentei explicar isso de maneira prática, mas por não ter base fundamentada, não tive muito crédito. Tudo que me disseram é que era apenas uma questão de sorte.

Travis Bradber, autor de Inteligência Emocional 2.0, diz que: Contato visual, escuta ativa e gestos do corpo tem efeito de convencimento no interlocutor e trazem vantagens que um QI de três dígitos não consegue dar a ninguém.

O não desenvolvimento de uma boa Linguagem Corporal juntamente com a falta de Inteligência Emocional, pode ocasionar em grandes perdas para o indivíduo como: o aumento de cortisol, a imagem de uma pessoa desestimulada, fragilidade nas negociações, falta de confiança em executar tarefas mais complexas.

Como Você Pode Se Beneficiar Com Inteligência Emocional E Linguagem Corporal?

Não saber utilizá-la pode aumentar o hormônio do stress em seu organismo e em contrapartida com a sua utilização adequada você conseguirá diminuir sentimentos e sensações que o coloquem em prova de fogo.

Segundo diversas pesquisas, dentre elas a da psicóloga americana Amy Cuddy, que após sofrer um acidente aos 19 anos de idade e perder parte significante do QI genial, algo em torno de 30 pontos, mesmo com o dano cerebral, Amy conseguiu se formar na faculdade levando quatro anos mais que seus colegas de classe e ela disse que nos momentos mais difíceis que passava, onde sua autoestima permanecia em baixa devido a perda do quociente de QI, ela buscava forças modelando a Linguagem Corporal que simbolizava super poderes.

Além de diminuir o cortisol que é responsável pelo stress, a Linguagem Corporal pode aumentar o nível de testosterona em 20% dando ao indivíduo mais autoconfiança. Uma combinação que se torna fundamental para pessoas que ocupam cargos de poder, onde a Inteligência Emocional precisa estar sempre em primeiro plano, já que quanto maior o nível mais responsabilidades e consequentemente mais desafios e problemas podem surgir.

Sem contar que você amparado da Inteligência Emocional e da Linguagem Corporal, consegue criar empatia mais facilmente com as pessoas, transmitir mais competência mesmo nas mais simples tarefas, negociar e influenciar melhor, além de identificar sinais de mentiras e saber sair delas facilmente.

Quando estiver em dúvidas sobre se você precisa ou não desenvolver sua Linguagem Corporal e a Inteligência Emocional, faça essas perguntas a si mesmo e seja honesto com sua avaliação:

  1. Minha presença é bem recebida em qualquer lugar que eu vá?
  2. Sou o tipo de pessoa que as pessoas que eu gosto desejam ficar próximas a mim em qualquer lugar que eu esteja, ou elas são as primeiras a saírem de perto sem dizer nada?
  3. Lido bem com meus sentimentos mesmo quando sou atacado injustamente?
  4. Sei ouvir mais os outros do que falar de mim mesmo?
  5. Crio conexões facilmente com qualquer pessoa, mesmo as mais difíceis de serem aturadas?
  6. Vivo desmotivado?
  7. Reclamo mais do que agradeço?
  8. Coloco mais defeitos do que procuro por soluções?
  9. Critico os outros pelo que fazem, e não faço igual e nem melhor?

Se você disse sim para uma dessas 9 questões acima, sugiro que deva procurar por algum tipo de ajuda para desenvolver suas habilidades de Inteligência Emocional e Linguagem Corporal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *