O aperto de mão é um dos rituais mais interessantes quando o assunto é Linguagem Corporal. Também é um dos assuntos que mais geram curiosidades e por grande parte das pessoas.

A ligação entre um aperto de mão e a possibilidade de ler o perfil que está a sua frente, é muito mais ampla do que se imagina.

Aperto de mão e sua origem

Existem algumas histórias interessantes sobre a origem do aperto de mão, mas o que nenhuma delas revela é onde de fato ele surgiu. Muçulmanos, gregos, egípcios, nórdicos e romanos são os possíveis povos que tiveram esse gesto em primeira mão.

O falecido antropólogo, Desmond Morris, dizia que a provável origem surgiu com o homem das cavernas. Uma forma de demonstrar que não estava armado, visto que naquele período, o homem andava com lanças afiadas para se defender dos animais perigosos e dos inimigos de outras tribos.

Egiptólogos relatam ter encontrado nos hieróglifos, um deus com sua mão estendida para um humano. Já outros relatos dizem que o aperto de mão possui origem com nórdicos, onde os vikings, utilizavam o aperto de mão com a pegada no pulso, pois era uma forma de verificar se não tinha um punhal ou qualquer arma escondido entre os braceletes ou nas roupas. Essa mesma teoria aparece na antiga Roma e no Egito.

Segundo o historiador Walker Burkert, um acordo podia ser expresso de maneira rápida e claramente em palavras que eram traduzidas por gestos. E em meados de 1800, o gesto se tornou parte indispensável de bons modos e foi introduzido nos manuais de etiqueta.

Gesto tão importante que Homero retratou algumas vezes em Ilíada, Odisséia, esse ritual como demonstração de confiança nas relações.

O fato é, não sabemos ao certo sua origem, mas sabemos que o aperto de mão é uma forma de demonstrar que somos confiáveis e acessíveis. Queremos ser vistos como pessoas importantes e, cada pessoa deixa externar em um simples aperto de mão, informações poderosas sobre seu perfil comportamental.

Nesse post, vamos falar seis tipos de apertos de mãos muito comuns no dia-a-dia que merecem ser observados com mais atenção.

Imagem 1 – Hera e Athena , final do século V aC, Museu da Acrópole

Submisso

Mendigos ao pedir esmolas nas ruas, mostram as palmas das mãos vazias como sinal de piedade, submissão, pedido de ajuda. Aperto de mão com as palmas viradas para cima é sinal de submissão. Mas muito cuidado com a interpretação. Não necessariamente quer dizer que essa pessoa é inferior ou frágil. Submissão pode também ser confundida com receptividade, abertura e flexibilidade.

O aperto de mão submisso, também pode ser dado com as palmas viradas para baixo, nesse caso, perceba o quanto a pessoa sede a mão na hora do contato. Algumas pessoas, chegam a abraçar praticamente o punho do outro.

CUIDADO! Muitos profissionais confundem submissão com estar disposto a tudo, o que é um grande perigo de perder uma excelente oportunidade.

Dominante

Hitler utilizava seu famoso gesto com as palmas das mãos para baixo, como sinal de superioridade. Os cavalheiros beijavam as costas das mãos das damas como sinal de submissão a elas e a tentativa de conquistá-las.

O aperto de mão dominante pode ser dado de duas maneiras: Palmas viradas para baixo, como sinal de superioridade ou com as palmas viradas para cima, como fosse uma recepção. Nesse caso, é importante estar atento as nuances que podem conter nas informações transmitidas.

Em ambos os casos, as mãos parecem querer “abocanhar” as mãos da outra pessoa.

Pessoas que apertam as mãos de forma dominante, possuem características relacionadas a personalidade forte e influente.

Desinteressado

É o famoso aperto de mão conhecido como, peixe morto. Esse tipo, pode estar relacionado a baixa autoestima, desinteresse pela pessoa na qual está tendo contato ou pelo assunto em questão.

Em ambos os casos, a pessoa que recebe o aperto de mão, percebe que existe um sensação de estar “enojado”, querendo evitar contato físico. Caso esteja relacionado a baixa autoestima, a outra parte pode não ter conhecimento sobre o fato e pode interpretar como alguém que evita contato físico.

É importante lembrar que, um aperto de mão será interpretado pela outra parte do jeito que ela receber, portanto, evite ao máximo dar esse tipo de aperto de mão, mesmo que não esteja interessado no assunto. Utilize essa informação para ler a outra pessoa.

Condução

Braços estendidos, quase retos, é uma das características de pessoas com personalidade dominante, controladora e também de pessoas desconfiadas. Pessoas com esse tipo de contato, tendem querer controlar toda a situação e manter sempre em posição de cautela. Uma dica para avaliar o nível de controle é: ao perceber que a pessoa tem essa característica, em manter o braço esticado, tente se projetar ao lado do braço que ele estendeu segurando sua mão, para ver se ele aceita o movimento ou se ele tenta desvincular.

Se a pessoa vira junto, mantendo sempre o tronco do corpo rente ao seu, pode ser sinal de inflexibilidade, desconfiança e controle. Caso ela permita que você fique ao lado dela, é sinal que com jeitinho, é possível conquistá-la.

Compassivo

A mensagem passada por esse tipo de aperto de mão é a de respeito, cumplicidade, admiração. Esse tipo de aperto de mão pode ser notado em pessoas que exercem autoridade, onde o respeito é legítimo. Uma forma de demonstrar admiração, respeito pelo outro.

Esse tipo de contato físico tem duas interpretações: manifestar nossa admiração ou demonstrar nosso respeito. É o mais próximo que chamo de veneração. Mas vale lembrar que, ao dar esse aperto de mão, evite a todo custo ficar alisando as costas das mãos ou dando tapinhas. Além de ser desconfortável para quem recebe, em algumas culturas pode ser interpretado como carícias com segundas intenções ou desdém, caso seja dado o tapinha.

Aperto de mão

Competitivo

Todo aperto de mão dominante, possui características de pessoas competitivas, sobretudo, existem dois tipos de apertos de mãos que são mais comuns nos perfis competitivos: os que colocam o dedo indicador no pulso da outra pessoa e os que seguram o pulso da outra pessoa com uma das mãos, ao mesmo tempo em que faz o cumprimento.

Ambos possuem o mesmo significado, a diferença está na ousadia de quem o faz.

Por exemplo: Colocar o dedo indicador no pulso é algo mais fácil de acontecer, mas segurar o pulso da pessoa com uma mão, enquanto a outra faz o aperto, é sinal que existe uma competitividade muito acirrada e tentativa de controle total sobre a situação.

Aperto de mão

Qual é o aperto de mão ideal?

O aperto de mão ideal é o aperto que torna capaz de fazer a leitura de quem aperta sua mão. Durante muito tempo, vi alguns profissionais ensinando o aperto de mão com certa distorção da sua realidade. Enquanto o ideal é fazer com que a outra pessoa faça uma leitura de quem está à sua frente, alguns profissionais ensinavam como dar o aperto de mão para ser mais competitivo. Esse tipo de atitude afugenta as pessoas, ao invés de extrair informações dela.

O aperto de mão ideal é aquele que possibilita você obter possíveis informações sobre o comportamento de quem está prestes a ter contato com você pela primeira vez, e poder ver como esse aperto de mão acontece ao se despedir da pessoa.

Ao se apresentar a uma pessoa, o aperto de mão pode ser controlador e, no final, a pessoa pode dar um aperto de mão submisso. São essas as informações que realmente interessam.

Demonstrar que é dominante, fará com que a outra pessoa fique com receio sem saber explicar os motivos. Ou, demonstrar que tem um aperto de mão mole, como o de peixe morto, fará com que a outra pessoa não sinta confiança e o veja como fraco.

Entenda que ler, reconhecer, detectar e interpretar é mais importante do que falar.