Cruzar os Braços

Cruzar os Braços é proibido? – Academia de Linguagem Corporal

Cruzar os braços pode trazer significados diferentes e interpretações equivocadas. Apesar, claro, de que toda pose é feita para demonstrar uma imagem, nem sempre ela quer dizer que aquilo que você está tentando passar, é coerente com sua intenção.

Braços cruzados são típicos em fotos de perfis profissionais, basta dar uma corrida de olhos no Linkedin e irá deparar com pelo menos 80% das fotos de perfis com braços cruzados.

Algumas pessoas acreditam que essa imagem os façam ser percebidos como “mais profissionais” e diferenciados… Mas como ser diferenciado se todo mundo sai na foto do mesmo jeito?

Cruzar os Braços, mitos ou verdades?

Em todas as categorias profissionais, os mitos são aqueles temperos que servem para mexer com a imaginação das pessoas que não tem certeza ou não sabem o bastante suficiente para tratar do assunto.

Algumas pessoas ainda viajam literalmente na maionese e criam mitos em cima de outros mitos e quando você percebe, se torna mais um folclore do que propriamente um assunto sério que você estudou durante anos.

Cruzar os braços é um mero detalhe. Posso ir mais longe e dizer que a maioria das interpretações associadas a essa postura, é tão falsa quanto aos movimentos oculares, que segundo alguns “especialistas” você pode descobrir se uma pessoa está dizendo verdade ou mentira através desses movimentos.

Temos um artigo onde falamos sobre alguns mitos da Linguagem Corporal

Olhe o “todo”

Mas quando você cruza os braços, a imagem repassada não é a mesma de que uma pessoa com braços abertos. Sim, e é verdade, se você não tem nada lhe servindo como barreira, uma imagem de confiança é repassada, mas não quer dizer que sempre o ato de cruzar os braços significará que a outra pessoa não está interessada no que você está dizendo, ou que ela está se trancando. Precisamos levar em conta sempre os contextos!

Poder

Quando olhamos para uma imagem de um segurança, é comum depararmos com uma pessoa forte cruzando os braços, tendo os bíceps torneados, peitos estufados e tronco ereto. Uma característica de que a pessoa está tentando parecer ser maior do que o normal para inibir um possível agressor.

Self Hug

O Self Hug, ou o autoabraço é comum pela maioria das pessoas, seja em público ou privado, é um ato inerente de buscar conforto.

Concentração

Tendemos a tomar essa postura quando ouvimos outra pessoa falando ou quando estamos prestando atenção em algo. Essa atitude não é uma maneira de demonstrar desinteresse, mas uma maneira que o corpo busca confortar-se.

Insegurança

Cruzar os braços também pode significar que uma pessoa está com medo, insegura ou sentindo-se desconfortável com algo que está sendo tratado. E nesse contexto cabe o auto-toque, uma tentativa de buscar pelo conforto.

O autoabraço pode ser uma busca pelo alívio do estresse, pois inconscientemente acariciamos nossos bíceps e em alguns casos, as auto carícias no pescoço que demonstram tentativas de aliviar a tensão.

Frustração

Esse é um comportamento mais infantil, pode ser notado com mais frequência em crianças quando são contrariadas por algo. Apesar de alguns adultos com atitudes infantis também deixar esses comportamentos serem transparecidos.

Inferioridade

Enquanto um segurança tende a parecer maior, aumentando seu tamanho através do cruzar dos braços, uma pessoa que se sente submissa pode cruzar os braços tentando se proteger e diminuir seu tamanho. Nesse caso, a pessoa curva-se para dentro buscando proteção.

Ambiente Frio

Quando sentimos calor, separamos braços, pernas deixando o mais longe possível do corpo para evitar de suar. Em caso de frio, buscamos o oposto. Queremos sentir cuidados e o auto-contato proporciona gerar mais calor.

Quando expostos em ambientes onde o ar condicionado está fora dos nossos padrões climáticos, o reconforto é buscado através do cruzar de braços.

Lembre-se novamente dos Contextos

Como tudo aquilo que foi dito nesse artigo depende muito do contexto a ser analisado, precisamos antes de fazer nossas análises não verbais, analisar não somente uma postura ou um gesto, mas estar atento ao corpo e às micro expressões faciais, assim como também ao lugar e a situação exposta.

Uma análise só é válida se você levar em conta esses elementos, caso contrário, você passa a presumir que seja verdade, o que passa apenas de um mito.

Na foto acima, podemos ver que os braços cruzados de Donald Trump são apenas um detalhe quando olhamos para a expressão de desprezo em seu rosto.

Os braços aqui podem trazer duas interpretações:

  • insatisfação com algo,
  • simplesmente conforto.

Repare que as pernas parecem estar abertas, o paletó aberto e o abdomen para cima. Mas se olharmos para o sorriso de desprezo, fica fácil notar o sentimento de superioridade e não de fechamento.

Ao analisar uma foto, é preciso saber em que situação ela foi tirada, para evitar julgamentos maliciosos e que não condizem com a verdade.

 

Linguagem Corporal de Poder

Linguagem Corporal de Poder

Linguagem Corporal de Poder, existe ou será que essa tal afirmação não passa de um mito motivacional para vender mais livros e cursos ou realmente a fisiologia do corpo pode alterar o estado mental?

Nesse post, prometemos revelar tudo sobre Linguagem Corporal de Poder!

Linguagem Corporal é ciência!

Ao falarmos de linguagem corporal devemos nos lembrar que estamos falando de ciência e não de pragmatismo. Por esse motivo, mesmo que o lado empírico manifeste, e é importante que isso aconteça, pois é através dele que lapidamos melhor alguns conceitos, devemos estar atentos ao que é experiência adquirida e o que possui base científica, mas sem gerar conflitos.

Digo isso pelo fato de que mesmo havendo respaldo científico, interpretações diferentes podem acontecer com frequência, gerando visões diferentes sobre um mesmo assunto.

Já disse isso em outro post e digo isso constantemente dentro dos cursos: Tesla assim como Einsten eram dois gênios, ambos atuavam em áreas similares e ambos divergiam constantemente. Porém, ambos estavam corretos, cada um da sua maneira contribuiu para que a física se tornasse o que é hoje.

Estudos científicos não são diferentes, haverão diversos estudos e interpretações divergentes que no final acabam se cruzando.

Como a confiança surge no cérebro

O córtex orbitofrontal é o responsável pela avaliação nos resultados da aprendizagem e tomada de decisão.

Segundo uma equipe de cientistas da Fundação Champalimaud, quanto maior o tempo que uma pessoa espera para agir, mais confiante essa pessoa demonstra ser, pelo fato de não agir por impulso (o que caracteriza tomadas de decisões feitas por algo como fosse uma única oportunidade).

Uma vez a confiança instalada de forma que nos beneficie, ela se desenvolve e nos proporciona novas tomadas de decisões cada vez mais confiantes. Ou seja, uma vez que o caminho da confiança seja descoberto, isso faz com que uma pessoa torne-se mais confiante para tomar outras decisões posteriores.

Um dos primeiros a levar esse estudo  para o campo do empreendedorismo, foi o escritor e palestrante motivacional T. Harv Eker, que através da comunicação mental para o corpo, a confiança poderia ser percebida através das ações.

Segundo Harv, Pensamentos conduzem a sentimentos > Sentimentos conduzem a ações > Ações conduzem a resultados.

Ainda que na época que Harv escreveu isso em seu livro, Os Segredos da Mente Milionária – 1992, que se tornou Best Seller mundial, não tendo respaldo e sendo compreendido como um material motivacional a ser vendido para lucrar, posteriormente vieram outras pessoas trazendo linhas de raciocínios similares.

Podemos experimentar essas sensações de maneira mais simples do que fazendo grandes estudos. Procure lembrar de uma comida que você adora e verá as expressões nascendo no seu rosto ou tente lembrar de uma comida que te dá nojo e veja o que acontece.

Essa afirmação atesta que, o modelo mental influencia nos estados internos que refletem nos externos.

Poder através da postura corporal

A neurociência nos ensina que tanto o nosso estado mental influencia nas posturas que adotamos, como nossa postura também tem o poder de influenciar nossos estados mentais.

Veja aqui o vídeo da Dra. Amy Cuddy

A responsável por essa pesquisa, psicóloga Dra. Amy Cuddy, que em uma palestra no TED, Power Poser, fez afirmações reveladoras sobre os anos que passou estudando o comportamento das pessoas que mantinham pose de vencedor X pessoas que mantinha pose de perdedor.

(A Academia Internacional de Linguagem Corporal, foi uma das maiores responsáveis por ter divulgado os estudos da Dra Amy Cuddy no Brasil quando sua palestra foi ao ar no TED.)

Amy, explica que uma postura de poder pode gerar sensação de poder no cérebro, e por esse motivo fazer com que uma pessoa sinta-se mais confiante. Da mesma maneira, uma postura de fracasso poderá fazer com que uma pessoa não tenha confiança suficiente para tomar certas decisões.

Níveis de cortisol, serotonina e testosterona podem ser liberados através da postura que adotamos.

Muitos ao ouvirem essa pesquisa, não haviam entendido que o que Amy Cuddy fazia, era na realidade nos alertar para posturas que ficamos na maior parte do tempo e como elas interferem no cotidiano.

É comum uma pessoa deixar de produzir resultados satisfatórios dentro de uma organização, simplesmente por ela ter adotado uma postura curvada, que aparentemente, é algo normal, porém tem influenciado no seu trabalho sem que se dê conta disso.

Dana Carney, Andy J. Yap e Amy Cuddy, realizaram outro estudo com base no que a própria Amy havia feito anteriormente, intitulado “Brief Nonverbal Displays Affect Neuroendocrine Levels and Risk Tolerance” que teve a finalidade de descobrir se eram nossas mentes que mudavam nossa postura ou se eram as posturas que mudavam nossas mentes.

Uma simples mudança, uma grande transformação

Um estudo alemão chamado, Inhibiting and Facilitating Conditions of the Human Smile: A Nonobtrusive Test of the Facial Feedback Hypothesis algo como “ (”Inibindo e Facilitando as Condições do Sorriso Humano: Um Teste não invasivo da Hipótese de Retroalimentação Facial”), conduzido pelos cientistas Fritz Strack e Leonard L. Martin, da Universidade Mannheim,

Comprovou que uma simples caneta na boca, poderia causar uma sensação de felicidade nas pessoas que fizeram parte do experimento.

O grupo foi dividido em dois:

  • Um segurava as canetas na ponta dos dentes, enquanto outro grupo segurava a caneta atravessada nos lábios.
  • Ambos iriam ver gravuras iguais e em nenhum deles foi solicitado que sentisse raiva ou felicidade, apenas que apreciasse as gravuras na qual seriam expostos.

Os participantes que tinham a expressão de felicidade ativada mecanicamente pela caneta, acharam as gravuras mais engraçadas do que aquelas que não foram ativadas.

Por meio dos receptores sensoriais que podem ser manifestados involuntariamente (quando aquele acontece de forma expontânea) ou voluntariamente (quando provocado mecanicamente), enviam estímulos ao cérebro para que ele haja de acordo com o estímulo enviado.

A relação humana X animal

Podemos encontrar explicações sobre essas indagações no reino animal, onde a maior riqueza de estudos pode ser facilmente observada através do comportamento dos animais.

Charles Darwin e Desmond Morris já nos deu forte indícios sobre as heranças que herdamos dos animais ao longo dos milênios.

Enquanto Darwin observava a evolução das espécies e semelhança entre expressões faciais, Morris entrava no comportamento. A semelhança entre o que fazemos e como fazemos pode ser facilmente percebida.

Mesmo que o motivo seja diferente, a representação, interpretação e reações são as mesmas. A linguagem corporal de poder manifesta em ambos os reinos.

Tendemos a projetar uma postura de confiança pelo fato de querermos ser maiores que nossas dificuldades ou oponentes.

Quanto maior for, mais sentimento de confiança é desencadeado no nosso cérebro.

Ainda que não acredite nas colocações por alguma crença religiosa, (e aqui não estamos discutindo sobre elas, apenas trazendo panoramas científicos sobre comportamentos), precisamos olhar para o comportamento humano com olhar de ceticismo, mas sem deixar que o cinismo tome conta.

Ser cético é estar aberto à novas colocações, posições e percepções, enquanto ser cínico, é invalidar o que o outro diz apenas pelo fato de não querer estar errado.

Como posso adquirir confiança no dia a dia?

Existem diversas formas simples que podem ser feitas por você. Principalmente se for para lidar com uma situação que requer força e confiança excessivas, você pode adotar tal postura.

E a verdade é que você não precisa ser nenhum especialista em comportamento humano ou gastar centenas de reais do seu precioso dinheiro para aprender a fazer isso.

Em outro artigo, ensinamos como ter mais confiança

A utilização de um estado de recursos que você possa ativar diante dessas situações, proporcionará a você uma maior performance ao ter que lidar com situações que podem consumir muito sua energia.

A preparação mental é a primeira que deve ser feita, mas a física através da postura, é a que contribuirá de fato para que você chegue marcando sua presença.

Um clássico exemplo e que ficou conhecido mundialmente pela sua maneira “exótica” de se apresentarem antes dos jogos, foi a seleção Neozelandesa de rugby, All Blacks.

Os All Blacks realizam antes de cada disputa a performance da haka, uma dança maori. Ainda que por algumas pessoas o Haka passa uma imagem de incomodo, devido os atletas cerrarem o punho e passar pelo pescoço como estivessem degolando seu oponente e ter pisadas fortes, seu verdadeiro sentido é a demonstração de orgulho, força e união de uma tribo. O haka é uma dança que era utilizada antes das batalhas como também no momento para expressar paz.

Os resultados proporcionados por essa dança, podem ser traduzidos em resultados. A Nova Zelândia é a maior produtora de atletas de rugby da atualidade e campeã de títulos.

Todos aqueles que experimentam essa dança percebem que os níveis de cortisol e serotonina alteram no organismo. Proporcionando à ela, mais disposição e determinação para cumprir alguma tarefa desafiadora.

Linguagem Corporal de Poder é solução para meus problemas?

Certa vez, uma pessoa me disse que um famoso coach lhe ensinou que, se tivesse uma linguagem corporal de poder, então ela não precisaria mais aprender novas técnicas para lidar com situações conflituosas, que tudo poderia ser desencadeado através do corpo.

Linguagem Corporal de Poder é apenas onde tudo se inicia!

Como mencionei em outra parte do artigo, precisamos separar o cinismo do ceticismo, mas também separar o que é exclusivamente ensinado com fins comerciais daquilo que é transmitido com intenção de nos preparar para sermos melhores.

Ter uma linguagem corporal de poder não resolverá seus problemas, nem tampouco será a solução para sua vida, nem fará com que você seja melhor do que o outro. Mas, ter uma linguagem corporal de poder e saber quando e como utilizá-la, será o começo para que as transformações comecem a acontecer na sua vida.

 

Linguagem Corporal da Sedução

A Linguagem Corporal da Sedução

Linguagem Corporal da Sedução, quais os principais sinais?

Nesse artigo iremos mostrar quais são os sinais de uma Linguagem Corporal da Sedução do público feminino e como os homens entendem esses sinais.

A Linguagem dos Olhos

Tudo inicia através do olhar, o tipo de contato visual pode gerar uma profusão de reações em seu alvo. Pode também intimidar, demonstrar rejeição ou medo.

As interpretações podem ser diversas, mas se o objetivo é conquistar seu alvo, mantenha conexão visual por 3 segundos e dê um leve sorriso ao desviar o olhar. Aliás, desviar o olhar como deixa para uma segunda ação por parte da outra pessoa, é elemento que as mulheres sabem utilizar bem, principalmente se o desvio do olhar é baixando as pálpebras como estivesse olhando para baixo.

Um dos fatores mais interessantes na Linguagem Corporal da Sedução, e difícil ser percebido em olhos de tonalidade escura, são as pupilas dilatadas quando há sinal de interesse. Em olhos claros é mais fácil de ser percebido.

Quando uma pessoa demonstra interesse por algo que vê em sua frente, suas pupilas dilatam em até 3 vezes mais do próprio tamanho.

Pupilas Dilatadas

Da mesma maneira que pupilas dilatadas representam sinal de interesse por parte da outra pessoa, elas também chamam a atenção de quem a percebe.

As prostitutas chinesas e egípcias da antiguidade utilizavam beladona nos olhos para aumentar o tamanho das suas pupilas.

Ao olhar de relance para essa foto, possivelmente você terá mais interesse em olhar para imagem que está a direita.

A Linguagem dos Lábios

A Linguagem Corporal da Sedução nos lábios, é a mais fácil de ser percebida e utilizada para conquistar seu alvo. A real função do batom é realçar as linhas que formam seus desenhos.

Lábios

Lábios finos representam discrição, reservada. Lábio inferior mais grosso que o superior é sinal de romantismo. Lábio superior mais grosso que inferior representa sensibilidade e fortes emoções. Ambos os lábios carnudos é sinal de determinação e sensualidade.

A Linguagem dos Cabelos

Após menstruarem pela primeira vez, as mulheres muçulmanas utilizam um véu para cobrir os cabelos. Ainda que seja radical e destoa da interpretação de quem não segue a religião islâmica, os cabelos são fortes fontes de sedução para as mulheres.

Cabelos

E esse não é um privilégio das que possuem cabelos longos, mesmo as que cortam bem curtinho, conseguem exercer fascínio.

Mesmo sem saber tecnicamente dessa informação, o motivo pelo qual as mulheres cuidam de seus lindos cabelos e gastam pequenas fortunas com o cuidado, não é em vão.

Mulheres com cabelos curtos, tendem a transparecer imagem de mais seguras de si, devido o pescoço ficar exposto.

A Linguagem Corporal da Sedução feminina é mais valorizada e atraente quando os cabelos são utilizados para insinuar desejo.

A Linguagem do Pescoço e Orelhas

A zona erógena mais exposta de todo ser humano é o pescoço. O uso de lenços no pescoço ou adornos, podem ser uma barreira para o alvo desejado. Quanto mais livre estiver o pescoço, mais convidativo se torna.

Pescoço

Toda parte do pescoço é atraente aos olhos do homem, mas a principal que o instiga, é a região da orelha. Deixar a orelha descoberta, é um forte sinal (inconsciente) de que deseja ouvir algo agradável. Algumas mulheres são mais ousadas, fazem tatuagens nessa região. Esse é um sinal claro como: OLHEM AQUI.

A Linguagem Corporal da Sedução faz parte do cotidiano das perfumarias, é por esse motivo que os anúncios das grandes marcas focam na maioria das vezes na região do pescoço.

Pescoço e orelhas expostas juntamente com uma das mãos no cabelo, pode ser  interpretado como um sinal de flerte.

A Linguagem Ombros e Colo

Já dizia os versos de Felipe Fortes:

Dos pés às suas mãos sou todo admirado,
Mas nos ombros,
Nos ombros…
Eu me calo e perco-me da vida,
Da busca por uma vida sem direção…
Apenas labiar toda manhã
Sua epiderme em toque de maçã.”

Os ombros desnudos são um convite a mexer com a imaginação do homem. A associação é feita por ser a parte onde inicia-se o colo. Foi nessa região que ele passou boa parte quando bebê e se sentia seguro. Freud estava certo com o complexo de Édipo.

Colo

A Linguagem Corporal da Sedução no colo tem grandes representações para o público masculino. Mulheres que utilizam decote criam dois estímulos para o homem: fertilidade e sensualidade.

Dentre os apelos do colo, estão: segurança e carinho. A base do colo é ampla e a cabeça se encaixa bem nessa região.

A Linguagem dos Pulsos e Axilas

Talvez você já saiba que os pulsos são uma das áreas mais delicadas do corpo humano. É nessa região que algumas pessoas quando estão dispostas a tirarem suas vidas, acabam cortando. Pulsos são extensões dos braços, ou seria início? São áreas que estimulam outras pessoas.

Pulso

Mas e as axilas, o que tem a ver com Linguagem Corporal da Sedução?

As axilas são os locais por onde transpiramos com mais frequência. O Suor em alguns casos funciona como afrodisíaco. Apesar dessa característica ser percebida mais facilmente pelas mulheres no público masculino. Trata-se de um processo bioquímico onde o corpo transpira e inebria a outra pessoa. (antes que interpretem erroneamente, esse tipo de suor não tem absolutamente nada a ver com falta de higiene.)

A Linguagem das pernas

Sharon Stone no filme Instinto Selvagem demonstrou o poder que uma cruzada de pernas possui. Um dos elementos que mais mexe com a imaginação dos homens, são as cruzadas de pernas das mulheres quando vestem saias justas.

Sharon Stone

Saias ou vestidos justos, longos até altura dos joelhos ou curtos, exercem mais fascínio do que qualquer outra peça de roupa.

O sentido de descobertas aflora no homem, é justamente por esse motivo que roupas curtas tendem a chamar mais a sua atenção.

A Linguagem dos pés

Apesar de ser uma parafilia, podolatria pode ser definida como uma atração pelos pés, como se eles fossem uma zona erógena. O fetiche pelos pés corresponde ao mesmo tipo de estímulo das pessoas que tem preferências por seios, orelhas, coxas…

Salto

Pés bem cuidados, com unhas bem feitas e a utilização de sandálias de salto alto, tendem a valorizar a imagem de sensualidade do público feminino.

Linguagem Corporal No Processo de Coaching

Linguagem Corporal No Processo de Coaching

Linguagem Corporal para coach não é frescura e nem uma invenção, é a base do seu trabalho se deseja ter sucesso. Se você é coach e não sabe nada de linguagem corporal, então não é coach!

Em outro artigo, falamos da importância do profissional de coaching aprender Linguagem Corporal.

O exclusivo que se tornou commodity

Desde 2014, o coaching  que antes era um processo apenas destinado às empresas e muito caro, vem se tornando uma espécie de movimento popular e ganhando cada dia mais adeptos pela área.

De certa forma isso é ótimo, pois cada profissional tem uma experiência em determinada área e consegue criar produtos e serviços que atendam melhor cada setor. Em contrapartida, o lado ruim está na maioria dos coaches fazerem as mesmas coisas, do mesmo jeito que as instituições ensinam. Acabando assim, ao invés de impulsionar um profissional, a fazer com que ele dependa da instituição como a única fonte de verdade.

Muitas empresas de formação de novos profissionais em coaching criam replicadores da “fórmula do sucesso” delas, criando assim uma leva de coaches que replicam o mesmo conteúdo e consequentemente leva novos clientes para dentro das empresas, ao invés deles mesmos serem promovidos.

Meu primeiro contato com o coaching foi em 2008, de lá pra cá já tive a oportunidade de passar por algumas das maiores instituições do Brasil. Por mais que cada um defenda de forma legítima seu método de ensino, coaching é coaching, não existe algo sobrenatural em nenhum curso que justifique o argumento de método único e exclusivo, como alguns gostam de afirmar.

Os equívocos no Coaching

Coaching é um processo de perguntas poderosas, que o profissional coach, faz para seus coachees. Perguntas e respostas são processos complexos, que requerem atenção plena e compreensão do estado emocional do coachee.

O coach pressupõe que o coachee precisa de ferramentas X, Y ou Z, sendo que o mais importante de uma sessão é negligenciado pela maioria das formações, e quando passam essa informação, da necessidade das ferramentas, é de maneira não coerente com a realidade, por se basear apenas no que a PNL diz e que está completamente ultrapassado.

Se um coach não entende de pessoas, então ele não é coach. Ele pode saber tudo de ferramentas, tudo sobre a história do coaching, tudo sobre todos os cursos da instituição, já ter lido 1001 livros sobre o tema, fazer as melhores perguntas sobre o tema, mas se ele não souber ler e interpretar seu coachee, de nada isso adiantará.

Meus tropeços no Coaching

Recordo que quando eu comecei o meu primeiro processo de coaching, eu sabia tudo que tinha de ser feito, mas sentia que as sessões não caminhavam como era de se esperar. Fui um dos melhores alunos da formação, fizeram uma avaliação com a capacidade de fazer perguntas e utilizar as ferramentas, viam que eu tinha uma habilidade de criá-las de forma a atingir profundamente o cliente, mas nas sessões não fluía como deveria.

Com isso, era mais curso, mais conhecimento e todos na mesma linha proposta pela instituição. Com a sensação de que faltava algo a mais, passei por instituições para entender o modelo de ensino e ver qual se adequava melhor a mim e, honestamente falando, o que vi, senti e vivi dentro de todas as instituições foi o mesmo conteúdo aplicado de formas diferentes. Uns mais motivadores e outros mais cognitivos, mas a proposta final era a mesma, o conteúdo era o mesmo.

Percebi que havia mais interesse em levantar uma bandeira e dizer que o trainer era mais qualificado do que o outro, por que ele cobrava X vezes mais, que era criador do método X ou Y, do que realmente em entregar um diferencial para seus alunos.

Foi aí que entendi que nenhuma formação em coaching vai te ensinar a importância de compreender sobre pessoas. Descobri que “ouvir na essência” não é suficiente, é preciso “observar na essência.”

Linguagem Corporal para Coaches é sobre coerência

Linguagem Corporal para Coaches não é sobre uma nova formação. Na verdade, nenhuma formação aborda a importância desse quesito para os profissionais que estão dentro de uma sala durante alguns dias.

Você só pode ajudar seu coachee se realmente souber o que ele precisa. Em uma sessão é comum acharmos que sair do ponto A e ir para o B como é ensinado didaticamente, é suficiente.

Seu coachee pode sim ter uma demanda que pareça ser coerente com as suas afirmações e assinalar verbalmente, mas será que o corpo dele e as expressões faciais estão de acordo com esses objetivos?

Não podemos confundir um momento de emoção com decisão, da mesma maneira não podemos achar que ao chorar em uma sessão ele está arrependido das decisões.

Automaticamente deixamos nos enganar por confiar demais nas nossas intuições. Afinal de contas, você é coach, pagou uma alta cifra pra ter esse conhecimento, tem que tirar de letra as sessões ou, ou, ou o problema é o coachee que não se compromete com suas metas e objetivos.

Já ouvi isso pelo menos uma centena de vezes e acredito que você também deva ter escutado ou até mesmo passado por isso. “O problema é que meu coachee não se compromete com seus objetivos”. Sim, sempre terão aqueles que estão a passeio, mas também haverão aqueles que estão obstinados a conquistarem algo grande.

Em uma sessão de 30 minutos eu já sei se devo ou não assumir compromisso com um cliente e na maioria das vezes eu o dispenso. Quando um cliente me contrata, meu foco é 100% em ajudá-lo. Irei comprometer os meu 100% para ele em cada sessão que estivermos juntos, seja por 1 hora ou por 2. Mas se eu não vejo em sua linguagem Corporal os mesmos 100%, mesmo que ele esteja disposto a pagar o que costumo cobrar, que não é barato, eu abro mão de atendê-lo.

Sou um profissional de performance, me pagam pra ajudá-los a atingir alta performance, portanto, se eu não vejo realmente o interesse por trás das expressões faciais e nem da linguagem corporal do interessado, é melhor que outra pessoa o atenda. Em todo negócio que entro, entro pra ganhar, e ganhar pra mim não é sobre primeiro lugar, mas realmente atingir o resultado desejado por quem me contrata.

Como a Linguagem Corporal pode te ajudar?

De diversas formas, tanto para se apresentar melhor ao seu cliente, pois você conseguirá ser congruente com suas falas ao interpretar seu coachee e persuadi-lo, como perceber se realmente ele está interessado no que você tem a oferecer.

Não há nada de sobrenatural ou complicado que você não possa aprender, muito pelo contrário. Linguagem Corporal se aprende na prática. Você precisa de uma base pra entender, mas é a prática que vai lapidar sua forma de olhar.

Você com conhecimento sobre Linguagem Corporal conseguirá, tanto selecionar melhor seus clientes tirando informações que verbalmente eles não lhes contariam, como também a influenciar melhor.

Lembre o seguinte: pelo menos 90% da sua comunicação não está no conteúdo que você fala, mas na maneira de falar e a forma de agir durante a fala.

E como disse no início desse post, a maioria das instituições ensinam métricas que não foram atualizadas, dando a você em uma formação, conteúdo que precisa ser revisto, pelo preço de algo contemporâneo.

Questione o óbvio! Se você enquanto profissional de desenvolvimento pessoal não sabe linguagem corporal, é hora de começar a aprender, pois o coaching como tem se visto, vem se tornando commodities. Não saber sobre pessoas pode custar caro para sua carreira.

 

Linguagem Corporal Para Coaches

Linguagem Corporal para Coaches

Linguagem Corporal para Coaches. Como isso pode ajudar um profissional de desenvolvimento pessoal a ajudar seus coachees?

Tanto o coaching quanto a Linguagem Corporal não são “produtos” novos, muito pelo contrário! A Linguagem Corporal sempre acompanhou o ser humano como o primeiro idioma a ser “falado”. Já a base do coaching surge em uma época nada comercial. Estudos revelam que Sócrates já fazia as pessoas refletirem com suas maiêuticas (perguntas reflexivas)

O que é coaching?

Coaching é um método de treinamento baseado em perguntas reflexivas que reúne diversas ferramentas para auxiliar o coachee (cliente) no seu processo de desenvolvimento. Originou-se nos Estados Unidos através do esporte pelas mãos de Thimothy Gawlley mais conhecido como Tim Gallwey e se expandiu pelo mundo como uma oportunidade de trabalho.

O coaching pode ser utilizado para diversas ocasiões. O principal propósito do coaching é auxiliar seus coachees através de perguntas que os ajudem a enxergar o que antes não podia ser percebido.

Não existe um modelo exclusivo de coaching, nem o que é mais certo ou errado. Algumas instituições alegam que o seu modelo é o mais correto e o que gera mais resultado. Mas se o coaching é um conjunto de ferramentas utilizadas por humanos e com humanos, é importante lembrar que o método por “melhor” que ele seja, ainda assim não é o ideal e está longe de ser o perfeito.

O que é ensinado em uma formação de coaching?

A grosso modo falando, a experiência do profissional de coaching com as ferramentas promovidas pela instituição é o que se ensina na maioria das instituições de coaching. No Brasil, o coaching por mais que seja algo relativamente “novo”, por estar aqui desde 2000, ele não é atualizado e muitas instituições se apegam ao achismo e conteúdos antigos e não deram um upgrade na informação.

Um exemplo é o uso da Programação Neurolinguística (PNL), que no Brasil as instituições tentam dissociar essa prática do Coaching, quando na realidade o Coaching é a PNL, porém de forma prática. E quando tentam fazer essa separação, cometem um grande erro ao mencionar nas formações, estudos que não possuem base científica.

O que é PNL

PNL é a sigla mundialmente utilizada que se refere a Programação Neurolinguística. Uma abordagem com junção de outras técnicas como: hipnose, gestalt.

A PNL surgiu na década de 70 através de um estudante (Richard Bandler) e um psicólogo (John Grinder) ao observar o comportamento das pessoas.

Desde sua criação até os dias atuais, a PNL não sofreu muitas alterações e nem atualizações, mas ainda assim é uma ferramenta poderosa no auxílio do desenvolvimento pessoal.

Costumo mencionar que todo profissional que participou de alguma formação em coaching, precisa conhecer a PNL para ter mais embasamento e propriedade ao aplicar técnicas.

O Coaching como profissão.

O coaching é um excelente negócio para todo profissional que busca aperfeiçoamento pessoal e profissional, independente da área de atuação. Ainda que não seja regulamentado como profissão, nem todos que buscam por formações em coaching pretendem atuar na área. Muitos executivos, diretores, psicólogos, políticos, fazem formação em coaching para ter mais recursos ao lidar com pessoas em seu ambiente de trabalho.

O coach não surgiu para substituir o psicólogo, psicanalista e nenhum outro terapeuta. O que ele faz é agregar ferramentas para que o processo de desenvolvimento se torne mais rápido e satisfatório para o cliente.

Se tratando de números, o coaching nos Estados Unidos chega a movimentar cerca de 3 bilhões de dólares por ano. Estima-se que apenas no Brasil, cerca de 40 mil profissionais possuem alguma formação em coaching.

Esse número reflete um aumento de 300% entre 2012 e 2015. O mais surpreendente é que esse número não havia mostrado nenhum sinal de reversão, até então.

No ano de 2017, essa busca se esfriou em comparação aos anos anteriores, isso pelo fato de muitas pessoas ficarem alucinadas com o coaching, mas não terem ideia do que fazer com aquele conhecimento que lhes era ensinado pós-formação.

A grande verdade é que o coaching vem se tornando commodities. Em 2013 eu cheguei a fazer um comentário sobre isso, dizendo que era apenas uma questão de tempo. Um dos grandes responsáveis por isso, é a falta de inovação e preparação do profissional de coaching, já que a maioria das instituições está focada em vender sempre um novo curso, alegando estar preparando o profissional com o argumento de que “falta ainda alguma coisa para dar o pulo do gato”.

Assim como um recém formado em qualquer graduação precisa passar por um estágio, para que possa ver como funciona na prática o que estudou dentro da universidade, no coaching o estágio é chamado de pró-bônus e é uma prática altamente recomendável. Mas ainda assim, ela não garante que o mais novo coach tenha sucesso na profissão, e por esse motivo, muitos acabam desistindo e tomando aversão à profissão, chegando ao ponto de não quererem nem ouvir falar mais nesse nome.

Existe um nicho específico?

Na realidade não existe nenhum nicho específico para atuar, mas a maioria dos coaches recém formados optam por atuar na mesma área de que seus professores.

Existe uma demanda muito grande por profissionais que tenham formação em coaching como diferencial, mas para pessoas que queiram viver exclusivamente do coaching, será preciso inovar, já que todas formações por mais “diferentes e exclusivas” que elas sejam, o coaching é um só.

Muitos coaches acabam se tornando generalistas, quando na verdade tudo que queriam era serem multiespecialistas. O fato de querer fazer tudo e atuar em todas áreas sem conhecimento prático e motivado pelos conteúdos ensinados em sala, ao invés de serem direcionados para uma carreira promissora, são conduzidos a se tornarem “transformadores” (como gostam de ser chamados), mas na realidade se tornam apenas replicadores de conteúdos.

O grande impasse na nova carreira do profissional recém formado muitas vezes está em querer seguir os passos do coach no qual o formou ou entrar em um nicho que está muito concorrido. Motivados pelos resultados do coach que os treina, muitos acabam os tendo como gurus e querem se tornar aquele profissional ao invés de criar seu próprio caminho.

Linguagem Corporal para Coaches? Como assim?

A linguagem corporal não é apenas mais uma das ferramentas disponibilizadas ou apenas algo relacionado a ficção científica. Na verdade, a linguagem corporal é o principal canal de comunicação de todo ser humano.

Imagine o seguinte: Um brasileiro que não sabe falar nada de inglês tentando se comunicar com um americano. Verbalmente a comunicação não aconteceria, já que ambos não compreendem as palavras, como elas poderiam fluir? Mas se olharmos para o não verbal, a comunicação aconteceria. Era assim no tempo das cavernas. Antes de criar idioma verbal, os gestos e as expressões faciais eram responsáveis por fazer com que a comunicação ocorresse entre as pessoas daquela época.

Você deve estar se perguntando: Mas se hoje de certa forma todos falam uma mesma língua e quando não se fala é possível até usar um intermediário ou até mesmo a tecnologia para ajudar, porque aprender uma coisa que parece ser obsoleta?

É nesse ponto que mora o perigo de se tornar apenas mais um nesse imenso mercado de oportunidades.

Observar para ouvir na essência

Muitos coaches recém formados ignoram a importância de saber interpretar o comportamento humano e acabam deixando uma enorme oportunidade de obter destaque na carreira.

O principal requisito para se tornar um coach é gostar de pessoas e querer ajudá-las, logo se eu não sou capaz de entendê-las, como poderei ajudá-las?

Um coach sai de uma formação preparado para utilizar algumas ferramentas que lhe são ensinadas, mas não sai preparado para lidar com as pessoas em suas verdadeiras essências.

Uma boa conversa no processo de coaching, em muitos dos casos substitui planilhas e até mesmo softwares sofisticados. A sessão de coaching é e deve ser algo humanizado, que permita você chegar mais próximo do seu cliente e o ajude a resolver seu problema.

Certa vez, um dos primeiros clientes de coaching que tive, me disse que em sua terceira sessão de coaching comigo, conseguiu chegar no resultado que desejava, enquanto que com um profissional que atualmente é uma das maiores referências no Brasil, ele havia gastado tempo e dinheiro.

O detalhe é que essa sessão de coaching não foi dentro de um estúdio fechado e nem do escritório, foi em um café.

O que as pessoas precisam é serem compreendidas, e a Linguagem Corporal proporciona ao especialista a capacidade de ler e interpretar os sinais que o corpo emite, conduzir de forma que possa fluir de maneira benéfica para o coachee.

Como posso aprender Linguagem Corporal?

Os livros podem ajudar, mas ainda assim o conhecimento não será suficiente. Se pautarmos desse princípio logo perceberemos que os livros nos ajudam, mas não são suficientes para nosso aprendizado. Eles apenas contribuem com nosso desenvolvimento.

Teoria você aprende também dentro de uma sala de aula, em uma palestra ou na internet. Linguagem Corporal se aprende é na prática. Claro que é importante passar por treinamentos e adquirir conteúdo teórico, mas o que realmente te faz aprender é a capacidade de livrar-se dos seus filtros e observar as pessoas no dia a dia. Seja em casa, no trabalho, na rua, em uma pracinha ou qualquer lugar que tenha pessoas por perto.

Antes de adentrar nesse universo chamado Linguagem Corporal Para Coaches, você precisa ter um ponto de partida que é: Por que se tornar um profissional que tenha essas habilidades?

Se você resolver aprender sobre o tema apenas por vaidade, eu já digo: nem perca tempo pois não irá se desenvolver em todo seu potencial e tudo que conseguirá é se frustrar, pois será apenas mais um curso que você gastou seu rico dinheirinho.

Primeiro defina o que você realmente quer com a Linguagem Corporal, existem vários nichos que apenas ela já é de grande relevância. Somados a sua formação em coaching, ela se torna mais eficaz.

Você não estuda Linguagem Corporal para colocar no curriculum. Uma das grandes práticas no Brasil, talvez devido a cultura ter sido instruída a ela, é de fazer cursos para colocar no currículo e ter certificados para comprovar que o fez. Você pode até ser contratado por conta de ter feito um curso e ter o certificado para comprovar, mas não será ele que irá te manter nesse emprego. E sim sua habilidade prática.

Quais nichos posso atuar com Linguagem Corporal?

Por mais que não seja comercialmente conhecida, a Linguagem Corporal proporciona uma gama imensa de oportunidades.

No Brasil, as pessoas procuram por oportunidades que tem algum rótulo. Como é o caso do coaching. Ele só se tornou o que é hoje porque foram atribuídos rótulos para elevar seu valor percebido, criando o desejo das pessoas em tê-lo como uma profissão.

Dentro da Linguagem Corporal você pode atuar em áreas forense, investigação criminal, interrogatórios, nas áreas comerciais, já que é importante o vendedor ter conhecimentos técnicos de como isso pode ajudá-lo a vender mais. Para palestrantes e oradores, já que a presença de palco é tão importante quanto o conteúdo que está sendo tratado, em sessões de coaching individuais e em grupos, pode ser utilizada por psicólogos, psicanalistas e terapeutas. O departamento pessoal de grandes empresas faz o uso da Linguagem Corporal na hora de contratar pessoas.

Devido uma demanda cada vez mais crescente e a falta de profissionais qualificados e habilidosos no mercado, nós da Academia Internacional de Linguagem Corporal iniciamos em 2017, um treinamento exclusivo para coaches que querem utilizar o conhecimento da Linguagem Corporal para potencializar os resultados de seus coachees.

Diferente do coaching que cresceu rapidamente em um curto período e hoje já se vê sinais de declínio, devido ao mercado cheio de profissionais que fazem a mesma coisa, a Linguagem Corporal no mesmo período se manteve em um ritmo estável.

Linguagem Corporal Para Coaches
Comparativo de 2012 até 2017 do crescimento e início de declínio do coaching
Análise Google
Comparativo de 2012 até 2017 da estabilidade da Linguagem Corporal com leve declínio.

Vale lembrar que quando a Linguagem Corporal esteve amplamente em alta, era devido ao famoso seriado norte-americano Lie to me, onde as pessoas tinham apenas a Linguagem Corporal para mentiras, como referência de conteúdo.

A Linguagem Corporal se manteve em um ritmo mais estável com leve declínio durante o mesmo período do Coaching.

O que vai acontecer daqui pra frente com o coaching não podemos afirmar, mas que como toda commodityes, haverá mais profissional do que cliente para consumir, e aquele coach que pensar em sair dos trilhos estabelecidos pelas instituições, terá mais chance de ter resultados do que aqueles que conseguem enxergar apenas o horizonte que eles querem que vejam.

Linguagem Corporal para Coaches não é mais um método de treinamento ou um diferencial para se estampar no cartão de visitas. É um recurso que deve ser utilizado para ajudar seu coachee a atingir o resultado desejado.

 

 

 

O Gesto do Príncipe Harry é satânico?

Sabe aquele ditado: Uma imagem vale mais do que mil palavras? Então deve saber que ele nem sempre pode ser levado a sério.

Recentemente o príncipe Harry e a primeira dama dos Estados Unidos, Melania Trump, em um encontro formal no jogo dos Invictus em Toronto, ganhou repercursão instantânea por conta de um gesto.

Alguns aficcionados por teorias de conspiração chegaram a afirmar que esse gesto representa adoração ao diabo, afinal de contas esse tipo de afirmação faz sentido? Certamente que não!

De forma bem simples de entender, um gesto pode trazer diversas interpretações mesmo quando eles ocorrem de maneira proposital. É importante lembrarmos que culturas diferentes nem sempre atribuiram os mesmos sentidos que você para um determinado gesto.

O gesto do Príncipe Harry simboliza algo ruim?

Em outro artigo publicado aqui no blog, falamos da importância de saber utilizar gestos em suas apresentações e explicamos um pouco sobre seus significados.

Uma imagem estática nesse caso, uma fotografia, ela pode captar um determinado movimento que gera interpretações variadas. Essas interpretações em 99% das vezes estão equivocadas ao serem analisadas de forma isolada.

Por exemplo, se uma pessoa aparece com a mão no cabelo, não quer dizer que ela esteja mentindo ou omitindo alguma informação. Ela pode estar simplesmente ajeitando o cabelo. O mais próximo que se pode dizer é que essa pessoa está buscando por conforto interno. Mas não se sabe necessariamente o motivo, portanto ao analisar uma foto, o risco de estar certo reduz absurdamente se essa imagem não estiver acompanhada de outras para fazer a comparação.

Que tipos de gestos existem?

De uma forma rápida, prática e didática, cada tipo de gesto tem uma finalidade mesmo em categorias diferentes. Utilizamos essas categorias para simplificar o processo de análise.

  • Gestos pacificadores, utilizados para lidarmos melhor com o estresse. (puxar o colarinho da camisa, ajeitar a gravata, apertar o botão do paletó, coçar o nariz, sobrancelhas, etc…)
  • Gestos adaptativos, são utilizados para nos auto adaptar a uma situação afim de acalmar. (apertar as mãos contra os braços, coçar as mãos,  em suma, gestos que se assemelham com uma defesa)
  • Gestos ilustradores, aqueles que são utilizados para dar “imagem” em uma palavra. (fazer um círculo no ar ao falar sobre o planeta terra)
  • Gestos Emblemáticos, aqueles que tem intuito de informar uma opinião. (sinal de Ok, dedo do meio, V de vitória)

Tá, mas e o gesto do Príncipe Harry é satânico?

Como disse anteriormente, depende da cultura de cada povo e em qual categoria ele se enquadra.

No rock in roll esse gesto tem um significado como algo irado, no Texas ele pode ser considerado como símbolo de seitas satânicas, se você for na Itália ele é atribuído como um “amuleto” servindo de proteção contra mau-olhado. Ou seja, em uma cultura é sinal de sorte, já em outra de algo maligno.

No caso do príncipe Harry, se você assistir ao vídeo onde essa imagem foi tirada, verá que ele estava nervoso ao lado da primeira dama. O que pode ser devido à pressão, desconforto por estar no ambiente muito formal, o que não se dá pra ser afirmado.

O nervosismo dele pode ser percebido no momento em que ele aperta os lábios logo no início do vídeo. Logo em seguida, ele demonstra raiva, que está ligada diretamente ao fato de estar se sentindo desconfortável. Perceba que ele não olha diretamente para os fotógrafos, ele faz uma busca rápida e após os flashes se vira para as poltronas que estão atrás deles.

Se você prestar atenção no segundo 0:31, verá que ele prende o ar e dá uma “bufada” rápida, é uma forma de aliviar o nervosismo que está sentindo.

Ok, mas e o gesto?

Contrariando os que gostam de teorias conspiratórias, ao meu ver esse não é um gesto emblemático, mas sim um gesto adaptativo e pacificador. Pois ao mesmo tempo em que ele coloca a mão no paletó fazendo uma pose, ele toca com os dedos a parte do estômago, buscando alívio para o momento.

 

Inteligência Emocional E Linguagem Corporal, Uma Combinação Perfeita Para O Seu Sucesso

Para se tornar bem sucedido é preciso ser autoconfiante, e para ser autoconfiante é preciso ter inteligência emocional. Até aqui talvez eu não tenha dito nada do que você não soubesse.

Você pode até ser contratado por ter um QI acima da média, mas ele não é garantia de que você possa se tornar um profissional bem sucedido.

Há cerca de 20 anos eu conheci uma pessoa que tinha um dos QIs mais extraordinários que pude presenciar e fiquei abismado por vê-la sendo despedida do “emprego dos sonhos” por não saber lidar com as outras pessoas à sua volta. Foi aí que entendi que inteligência cognitiva não é a mesma coisa que emocional.

Dificuldades

Sempre tive dificuldades na aprendizagem escolar. Naquele tempo pessoas como eu eram chamadas de burras, hoje são diagnosticadas com TDAH, discalculia, dislexia, entre outros transtornos de aprendizagem.

Apesar de ter repetido um ano letivo por três vezes eu sempre gostei de aprender, mas encontrava dificuldades em compreender da maneira como os professores ensinavam. Eu achava tudo muito complicado e se não me interessasse, realmente eu não aprendia.

Mesmo sendo considerado um aluno atrasado, eu tinha certas habilidades que me faziam ganhar facilmente a confiança dos colegas e com isso influenciá-los a fazer o que normalmente não fariam.Na aula de educação artística atuando como organizador das apresentações ou nas aulas de educação física mesmo sem jogar nadinha de futebol, eu conseguia convencer os professores, sim, inclusive aos professores, a implantarem outros esportes para que eu pudesse participar.

Mas o que eu tinha de diferente? Como eu conseguia fazer o que os outros não conseguiam?

A resposta está em algo que atualmente é muito difundido, mas que também era desconhecido naquela época: INTELIGÊNCIA EMOCIONAL E LINGUAGEM CORPORAL.

O Importante Papel Da Inteligência Emocional No Desenvolvimento Humano

Inteligência emocional é muito mais que um conceito psicológico, é a capacidade de nos avaliarmos por uma perspectiva mais ampla e às outras pessoas que estão a nossa volta, e saber exatamente como lidar com cada pessoa.

 

“…capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos.” (Goleman, 1998)

 

  1. Autoconhecimento Emocional – reconhecer as próprias emoções e sentimentos quando ocorrem;
  2. Controle Emocional – lidar com os próprios sentimentos, adequando-os a cada situação vivida;
  3. Automotivação – dirigir as emoções a serviço de um objetivo ou realização pessoal;
  4. Reconhecimento de emoções em outras pessoas – reconhecer emoções no outro e empatia de sentimentos;
  5. Habilidade em relacionamentos interpessoais – interação com outros indivíduos utilizando competências sociais.

 

As três primeiras são habilidades intrapessoais e as duas últimas, interpessoais. Tanto as primeiras são essenciais ao autoconhecimento, quanto estas últimas são importantes em:

  1. Organização de Grupos – habilidade essencial da liderança, que envolve iniciativa e coordenação de esforços de um grupo, bem como a habilidade de obter do grupo o reconhecimento da liderança e uma cooperação espontânea.
  2. Negociação de Soluções – característica do mediador, prevenindo e resolvendo conflitos.
  3. Empatia – é a capacidade de reagir adequadamente de forma a canalizá-los ao interesse comum, ao identificar e compreender os desejos e sentimentos dos indivíduos.
  4. Sensibilidade Social – é a capacidade de detectar e identificar sentimentos e motivos das pessoas.

Onde Entra A Linguagem Corporal?

A Linguagem Corporal exerce extrema importância em nossa comunicação. Repare em todas as pessoas bem sucedidas, elas se expressam, falam e gesticulam bem. Dificilmente você verá alguma pessoa que admira e não tenha uma desenvoltura digna de sua atenção.

Mas além de compor sua comunicação e ser responsável por pelo menos 80% dela, sua comunicação não verbal influencia diretamente nos pensamentos que são refletidos em nossos sentimentos e são expostos em nossos resultados.

Diversos grandes profissionais já falaram sobre como a Linguagem Corporal molda o comportamento. Tony Robbins, T. Harv Eker, Amy Cuddy e inclusive eu, em início de carreira tentei explicar isso de maneira prática, mas por não ter base fundamentada, não tive muito crédito. Tudo que me disseram é que era apenas uma questão de sorte.

Travis Bradber, autor de Inteligência Emocional 2.0, diz que: Contato visual, escuta ativa e gestos do corpo tem efeito de convencimento no interlocutor e trazem vantagens que um QI de três dígitos não consegue dar a ninguém.

O não desenvolvimento de uma boa Linguagem Corporal juntamente com a falta de Inteligência Emocional, pode ocasionar em grandes perdas para o indivíduo como: o aumento de cortisol, a imagem de uma pessoa desestimulada, fragilidade nas negociações, falta de confiança em executar tarefas mais complexas.

Como Você Pode Se Beneficiar Com Inteligência Emocional E Linguagem Corporal?

Não saber utilizá-la pode aumentar o hormônio do stress em seu organismo e em contrapartida com a sua utilização adequada você conseguirá diminuir sentimentos e sensações que o coloquem em prova de fogo.

Segundo diversas pesquisas, dentre elas a da psicóloga americana Amy Cuddy, que após sofrer um acidente aos 19 anos de idade e perder parte significante do QI genial, algo em torno de 30 pontos, mesmo com o dano cerebral, Amy conseguiu se formar na faculdade levando quatro anos mais que seus colegas de classe e ela disse que nos momentos mais difíceis que passava, onde sua autoestima permanecia em baixa devido a perda do quociente de QI, ela buscava forças modelando a Linguagem Corporal que simbolizava super poderes.

Além de diminuir o cortisol que é responsável pelo stress, a Linguagem Corporal pode aumentar o nível de testosterona em 20% dando ao indivíduo mais autoconfiança. Uma combinação que se torna fundamental para pessoas que ocupam cargos de poder, onde a Inteligência Emocional precisa estar sempre em primeiro plano, já que quanto maior o nível mais responsabilidades e consequentemente mais desafios e problemas podem surgir.

Sem contar que você amparado da Inteligência Emocional e da Linguagem Corporal, consegue criar empatia mais facilmente com as pessoas, transmitir mais competência mesmo nas mais simples tarefas, negociar e influenciar melhor, além de identificar sinais de mentiras e saber sair delas facilmente.

Quando estiver em dúvidas sobre se você precisa ou não desenvolver sua Linguagem Corporal e a Inteligência Emocional, faça essas perguntas a si mesmo e seja honesto com sua avaliação:

  1. Minha presença é bem recebida em qualquer lugar que eu vá?
  2. Sou o tipo de pessoa que as pessoas que eu gosto desejam ficar próximas a mim em qualquer lugar que eu esteja, ou elas são as primeiras a saírem de perto sem dizer nada?
  3. Lido bem com meus sentimentos mesmo quando sou atacado injustamente?
  4. Sei ouvir mais os outros do que falar de mim mesmo?
  5. Crio conexões facilmente com qualquer pessoa, mesmo as mais difíceis de serem aturadas?
  6. Vivo desmotivado?
  7. Reclamo mais do que agradeço?
  8. Coloco mais defeitos do que procuro por soluções?
  9. Critico os outros pelo que fazem, e não faço igual e nem melhor?

Se você disse sim para uma dessas 9 questões acima, sugiro que deva procurar por algum tipo de ajuda para desenvolver suas habilidades de Inteligência Emocional e Linguagem Corporal.

O Poder da Linguagem Corporal

O Poder da Linguagem Corporal

O Poder da Linguagem Corporal Vai Muito Além Do Que Você Imagina!

Se você acompanha nosso blog, sabe que Linguagem Corporal é assunto que dominamos e compartilhamos com frequência em nossas redes sociais.

A cada dia que passa diversas áreas vem tornando a público a utilização da Linguagem Corporal em seus negócios.

Sabe aquele produto que parece ter feito exclusivamente para você? Você chega em uma loja e fala: “foi feito para mim.” Sim, é verdade ele foi feito sob medida para você, mas você sabe como isso aconteceu?

Recentemente o caderno de economia do Estadão publicou uma matéria falando sobre como a tecnologia vem sendo associada a Linguagem Corporal a fim de compreender as emoções, comportamentos e desejos das pessoas.

Essa mesma tecnologia contribuiu para o aumento de receita em empresas como a operadora aeroportuária Aéroports de Paris, o conglomerado de artigos de luxo LVMH e a rede de hipermercados Carrefour.

Em uma livraria, os testes mostraram que a interpretação correta da Linguagem Corporal contribuiu para um aumento de 10% em um período de testes que duraram 8 meses.

Criamos um ebook para você que ensina como utilizar a Linguagem Corporal para influenciar pessoas

Ainda na matéria, é mencionado que empresas como a PepsiCo, Procter & Gamble, Unilever entre outras, estão fazendo testes para compreender mais a fundo o comportamento dos clientes por meio de câmeras térmicas para analisar suas fisionomias.

A Supremacia do Entretenimento

A Disney já faz a utilização de técnicas sobre comportamentos em uma de suas empresas, a Pixar, onde recebe a consultoria de um dos maiores especialistas em emoções do planeta, o Dr. Paul Ekman. Recentemente foi divulgado que a Disney desenvolveu um sistema baseado nas expressões faciais, capaz de prever quando uma pessoa irá se interessar por um filme.

O que essas grandes empresas perceberam é que através de compreender o comportamento humano, as expressões faciais, o jeito de caminhar e a maneira de se comportar, elas conseguem estabelecer conexões poderosas com seus clientes, entregando-lhes o que realmente desejam.

“Se você não entende de pessoas, não entende de negócios.”
Simon Simonek

De Vetusto ao Contemporâneo

Até pouco tempo atrás Linguagem Corporal era tratada como ficção na detecção de mentiras, algo que apenas fosse possível nos filmes e seriados. A ciência provou que o que era tratado como mito, se tornou mito.

Compreender sobre comportamentos é saber lidar com pessoas. Seja na liderança com os executivos, CEOs, gestores, como também na política.

Utilizar toda lábia para convencer o cliente de comprar algum produto ou seu colaborador pra fazer algo, já não é mais suficiente. Esses que ainda insistem em agir assim correm risco de ficar fora do jogo.

O mercado mudou e com isso a necessidade de se adaptar nunca foi tão exigida. Aprender sobre comportamentos dos seus clientes é como pegar em um molho de chaves e usar a chave exata para abrir cada cadeado sem ter trabalho de procurar.

Temos um artigo que mostra como o marketing é algo importante para seu negócio

Se as grandes empresas fazem o uso da Linguagem Corporal para gerar mais resultados e aumentar seus lucros, o que você está esperando para fazer o mesmo?

Você pode aprender como utilizar o Poder da Linguagem Corporal e entender sobre comportamentos. Seja uma pequena, média ou grande empresa, você de alguma forma se relaciona com outras pessoas.

 

Como Tornar-se Mais Confiante

Como Tornar-se Mais Confiante

O maior coach da atualidade, Anthony Robbins, em entrevista para o Business Insider, fez uma grande revelação sobre o que leva algumas pessoas a obterem sucesso em suas vidas. Segundo ele, a chave da mudança para uma pessoa se tornar bem sucedida está em desenvolver sua confiança, o que não é uma tarefa tão fácil assim, revela.

Tony Robbins ganhou notoriedade no Brasil após seu documentário produzido pela Netflix ter mostrado como ele tem ajudado milhares de pessoas. Dentre seus clientes, personalidades como a apresentadora Oprah Winfrey, Arnold Schwarzenegger , o ex presidente Bill Clinton,  o tenista Andre Agassi, entre várias outras celebridades mundiais.

Por mais impressionante que seja, o sucesso é atribuído à capacidade de ter confiança naquilo que faz. No entanto, adquirir confiança é algo extremamente difícil já que sempre temos dúvidas se vamos ou não conseguir o que desejamos. – “Eu falo há décadas que ser mais confiante é difícil porque você pensa “mas se?” “quem sou eu?” A mente faz esses jogos.”

Segundo Robbins, a fisiologia de uma pessoa pode revelar e moldar seu comportamento. E para que sintamos qualquer emoção, nós temos que usar nosso corpo para que ele transmita ao nosso cérebro as emoções que desejamos sentir.

“Qual sua postura? Caída. Como está sua cabeça? Abaixada. Está respirando profundamente? Não, de forma lenta. Está falando muito alto e rápido ou mais calmo e hesitante?”

“Nossas emoções vem de ação e se você quer ser bem sucedido, esteja rodeado de pessoas altamente confiantes.”

Tony Robbins ainda reafirma o que a psicóloga de Harvard Amy Cuddy disse em seu TED sobre manter-se em postura de poder por dois minutos como um super herói.

“Ponha suas mãos na cintura, com postura ereta, e fique assim por dois minutos, como o Super Homem ou a Mulher Maravilha. Em dois minutos, a sua testosterona, você sendo homem ou mulher, aumenta em média 20%. E o cortisol, que é o hormônio do stress, diminui 15%.”

Christopher Reeve e Jean Córdova Carter

Tonny Robbins, diz que com esses dois minutos você fica 1/3 mais apto a tomar atitudes que antes pareciam ser quase impossíveis.

O que acha de fazer esse teste por apenas 2 minutos e ver o que acontece? Afinal de contas, são apenas 2 minutos e nada mais.

Video original em ingês (sem legendas)

Quer aprender Sobre Linguagem Corporal?

Você pode aprender mais sobre a Linguagem Corporal de forma muito mais ampla do que possa imaginar. Sabe como? No Maior Congresso online já produzido, onde especialistas de 10 países em diversas áreas, ensinarão como a Linguagem Corporal pode te beneficiar.

 

 

Psicóloga de Harvard Amy Cuddy Faz grandes Revelações

Psicóloga de Harvard Amy Cuddy Faz Revelações

A psicóloga de Harvard que ganhou reconhecimento mundial através de uma palestra no TED Talks, Amy Cuddy, revelou ao mundo como a sua Linguagem Corporal influencia diretamente no seu emocional e reflete em suas decisões. Ela conta qual é a chave para conquistar confiança mesmo quando a situação for de grande desafio.

Segundo a Dra. Amy Cuddy, esse processo é simples de ser feito, mas muitos não o fazem por não conhecê-lo. “Ficar numa postura confiante, mesmo quando não nos sentimos confiantes — pode afetar os níveis de testosterona e cortisol no cérebro e pode até ter um impacto nas nossas chances de sucesso. Esse processo requer apenas que você permaneça por 2 minutos em uma postura”.

Poses de poder

Entretanto existe também o lado negativo – e que, segundo a psicóloga, se uma pessoa ficar em poses que tragam sentimentos de tristeza, certamente ela se sentirá assim. Antes de iniciar a palestra, Amy Cuddy pede aos convidados que façam uma auditoria em seus corpos para verificar suas posturas, ela diz: “Quantos de vocês estão meio que se encolhendo? Talvez corcundas, encolhendo as pernas, talvez cruzando os tornozelos.”

Poses de fracasso

Exercitar essas posturas diariamente é uma forma de garantir melhor desempenho em situações desafiadoras, sejam elas em casa ou no trabalho. A psicóloga revela que quando tinha 19 anos sofreu um acidente de carro muito sério. “Eu fui jogada para fora do carro, rolei muitas vezes – eu acordei numa reabilitação para a cabeça e havia sido retirada da faculdade e soube que meu QI tinha reduzido, o que foi muito traumático para mim.” Amy Cuddy ainda faz confissões impressionantes de como a Linguagem Corporal lhe ajudou a superar a fase mais difícil de sua vida.

Assista ao vídeo:

 

Como a própria Dra. Amy Cuddy menciona em sua palestra: “Não finjam até conseguirem. Finjam até se tornarem –  Façam o bastante até se tornarem aquilo e internalizem. – Ajustes mínimos podem levar à grandes mudanças. Isso vai levar dois minutos. Dois minutos, dois minutos, dois minutos.”

Quer aprender Sobre Linguagem Corporal?

Você pode aprender mais sobre a Linguagem Corporal de forma muito mais ampla do que possa imaginar. Sabe como? No Maior Congresso online já produzido, onde especialistas de 10 países em diversas áreas, ensinarão como a Linguagem Corporal pode te beneficiar.

 

1 2
Clique aqui e baixe agora seu Ebook
Aprenda Como Criar Rapport
Clique para baixar
Get a Shocking Discount!
Get 85% OFF on all our selected products
Check it out